DESTAQUES

Eles e elas ficam mais vulneráveis a cantadas às vésperas do Dia dos Namorados

Arlete Gavranic 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Cantadas inteligentes, pessoais e criativas podem mobilizar a mulher

por Arlete Gavranic

Às vésperas do Dia dos Namorados muitos sentem-se sozinhos e com isso vem o desejo de encontrar alguém especial. Nesta época muitos ficam vulneráveis a investidas e cantadas.

Parte dessas cantadas vem da expectativa de conhecer alguém especial ou ter compromisso, mas muitas são destinadas 'à caça' em busca de sexo.

Muitos acham que uma cantada sempre faz bem para o ego e pode fazer sim. Mas isso depende de você achar interessante a pessoa que te canta, o tipo de abordagem, se você se sente valorizada ou não.

Cantadas do tipo "Não sabia que boneca andava", ou "Esse cachorrinho tem telefone?; "Essa é a nora que minha mãe adoraria ter", podem fazer com que a mulher não se sinta valorizada, pois não são inteligentes, pessoais e criativas.

Algumas podem até ser engraçadas e criar um clima de descontração quebrando o gelo, mas as entradas mais agressivas em geral provocam desconforto e raiva, pois destratam a mulher ao invés de seduzi-la.

Mas se a cantada for inteligente, talvez possa mobilizá-la para que ela sinta interesse ou passe a prestar mais atenção à pessoa que canta.

Cantada ideal

Elogie, ressalte as qualidades, brinque com as semelhanças, mas com elegância e sutileza nas insinuações. Seja sensual ao elogiar e cantar, nada de cantadas explícitas, pelo menos nas primeiras vezes que você estiver investindo naquela pessoa.

Paquerar é uma realidade muito frequente, principalmente nas universidades, escolas e ambientes de trabalho, pois são lugares onde as pessoas convivem um grande número de horas. Por isso, esses ambientes são os mais facilitadores para a sedução.

Cantada no ambiente de trabalho

Desenvolva uma postura adequada, principalmente no ambiente de trabalho, onde se corre o risco de uma cantada se transformar em assédio sexual.

Neste mês dos namorados, pessoas carentes de relações afetivo-sexuais tendem a ficar sensibilizadas. Por isso, cuidado no ambiente de trabalho, para não fazer sua investida em conseguir uma boa companhia virar queixa de assédio sexual.




Arlete Gavranic

Psicóloga, Mestre em Educação; Educadora e Terapeuta sexual pela Sbrash, Coordenadora e docente dos cursos de Pós-graduação lato sensu em Educação sexual e em Terapia sexual do ISEXP/ Sbrash. Docente dos cursos de pós-graduação em Educação sexual e Terapia sexual da UNISAL e coordenadora do pós de Terapia Sexual da UNISAL.



ENQUETE

De qual problema você gostaria de se livrar em 2018?








VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.