DESTAQUES

Sono: aliado número 1 para a qualidade de vida

Nuno Cobra 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR
Sono: liberta o inconsciente para o encontro com a energia universal

por Nuno Cobra

Tomei conhecimento através da imprensa que o fuso horário, diferença de 12 horas entre o Brasil e a Coreia do Sul, é a maior preocupação da comissão técnica da seleção. Para os jogadores não serem importunados durante a noite, uma espécie de sacolinha foi instituída e, por volta da meia-noite, os celurares serão recolhidos.

A medida está certa, porém, fiquei estarrecido com o horário. Para um atleta ir dormir, meia-noite é muito tarde. Para o sono de um atleta ser reparador, ele tem que dormir no mínimo 10, 9 ou oito horas, depende de cada caso.

A preocupação com o fuso horário e a insônia procedem. A boa qualidade do sono é o maior aliado de um atleta numa competição de nível tão elevado, já que a técnica e a performance, entre as melhores equipes, apresentam um nível homogêneo. Num torneio tão curto como este, pequenos detalhes fazem uma grande diferença.

Sono: liberta o inconsciente para o encontro com a energia universal

O sono é o elemento mais importante, para todas as pessoas, em qualquer atividade profissional, na busca de uma melhor qualidade de vida. É o item número 1 do meu método de preparação física. O sono relaxa, solta, predispõe, organiza os hormônios, elimina os excessos, recompõe todas as células do organismo, liberta o inconsciente para o encontro com a energia universal.

A falta de sono provoca irritabilidade, mau humor e afeta a atenção. A pessoa não deve acordar em déficit e sim zerada. O ideal é acordar sozinha, sem despertador.

Desempenho físico da seleção depende da adaptação ao fuso horário

Da adaptação ao fuso, vai depender não só o desempenho dos atletas, como o de um profissional numa viagem a negócios. A performance está muito assentada no fuso horário. O nosso organismo tem um relógio vital, que faz com que sintamos sono, fome e sede. É o ritmo vital. Quanto mais rápida a adaptação do organismo, a um outro ambiente metabólico, melhor. Neste novo ambiente o organismo pode estar agitado na hora de dormir e sonolento na hora das atividades mais importantes do dia. Vão aí algumas dicas para acertar o relógio biológico.

10 Dicas para se adaptar ao fuso horário, ao chegar num país durante o dia

Com estas dicas a pessoa já tem 60% de adaptação em 24 horas, num fuso horário de 12 horas. Em 48 horas, a pessoa estará completamente adaptada.

1º) Ao entrar no avião, já acerte o relógio para o local de destino e esqueça o horário do local de origem, pois isso atrapalha a adaptação do organismo. Dar esta nova ordem de horário ao cérebro, faz com que o organismo se adapte mais rápido.

2º) No avião, faça as refeições de acordo com o horário do local de destino.

3º )Ao chegar no hotel nada de sentar, nem do hall de entrada, para não dormir.

4º) Saia, vá dar um passeio, faça compras...

5º) Nada de atividades que exijam esforço físico.

6º) Faça as refeições rigorosamente nos horários do país.

7º) Por volta das quatro da tarde, no hotel mesmo, faça uma corrida, bem devagar, durante uns vinte minutos. Porque quando você corre, você entra em meditação ativa, descansa a mente e os neurônios. E cansa o corpo para poder dormir bem.

8º) Às cinco da tarde tome um banho.

9º) Entre 18h30 e 19h00 jante e lá pelas oito vá dormir.

10º) Durma 12 horas para recompor as energias.




Nuno Cobra

Preparador físico e mental. Treinou o saudoso Ayrton Senna. É autor do best-seller "A Semente da Vitória".



ENQUETE

De qual problema você gostaria de se livrar em 2018?








VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.