imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Atividade Física

Concentração, ansiedade e desempenho

A concentração é influenciada por nossa vontade, pensamentos, memória, saúde geral e emoções

24 ago, 2017


por Renato Miranda

Se a ansiedade exacerbada pode ser uma fonte de distúrbio para a concentração no esporte, por outro lado a deficiência do atleta em desenvolver a habilidade de se concentrar produz aumento dos níveis de ansiedade prejudiciais para o melhor desempenho.

Em consequência, pode-se advir que ansiedade e concentração são fenômenos sistêmicos, de modo que causas e efeitos estão interligados e formam um todo e complexo sistema de relações psicológicas (tensão nervosa, insegurança, timidez etc) e físicas (contrações musculares indevidas, movimentos instáveis na execução técnica, frequência cardíaca elevada etc), o que se conclui que níveis exacerbados de ansiedade interferem negativamente na concentração e deficiência ou falha da mesma influencia os níveis de ansiedade.

Segundo vários estudiosos no assunto, que nos anos 1990 produziram vários estudos a respeito (Cox, Csikszentmihalyi, Feijó, Lent, Weinberg, Gould), para um melhor desempenho em qualquer tarefa, é necessário investir na melhoria da concentração, pois é ela (a concentração), nossa melhor energia psíquica disponível para o desenvolvimento de qualquer tarefa ou habilidade.

Pedir ou exigir concentração para um atleta executar algo parece algo simples, mas a complexidade dos elementos que participam do processo de se manter concentrado é algo instigante.

De forma sintética, observe que ao descrever os elementos que compõem a concentração, a ansiedade influencia diretamente cada um deles e, por conseguinte, no estado de se manter atento frente uma tarefa e assim facilitar o aprendizado e o desempenho no melhor nível possível.

1º elemento da concentração: estado de alerta

Portanto, o primeiro elemento é a geração de um estado geral de alerta, ou seja, para que o atleta inicie um processo de concentração a fim de promover o desempenho de alguma tarefa, ele precisa adequar seu nível de excitação para que as informações disponíveis no meio ambiente (estímulos) sejam percebidas com mais eficácia. Lembre-se, a sensação é a primeira etapa da percepção.

 De modo que a sensação é o registro dos estímulos físicos e a percepção é a interpretação dos mesmos. Quanto melhor a percepção, mais oportuno será a concentração. Em resumo, estar em alerta significa estar atento! No entanto, é fundamental ensinar o atleta quando e como ficar atento, a fim de não exacerbar a excitação e com isso gerar ansiedade. Em ansiedade o atleta fica demasiado tenso e dissipa energia desnecessariamente.

2º elemento da concentração: atenção seletiva

A atenção seletiva é algo a ser aprendido pelo atleta desde tenra idade. Em outras palavras, aprender a dar atenção (selecionar!) somente àquilo que é importante para a execução da tarefa.

Selecionar aquilo que é importante para a tarefa, é algo que ajuda a canalizar a energia psicofísica para o desenvolvimento da habilidade do atleta, de se manter concentrado e, ao mesmo tempo, regular os níveis de ansiedade, pois tudo aquilo que aflige o atleta, como pressão por resultados, ameaça de fracasso, expectativas exacerbadas e outros, não terão espaço considerável na mente do atleta, pois tais pensamentos estarão desfocados. Com isso, o atleta terá mais chances de desviar os pensamentos negativos e focalizar os positivos, que decerto auxilia na regulação dos níveis de ansiedade favorecendo então, a concentração.

3º elemento da concentração: consciência da situação

O terceiro elemento da concentração é a consciência da situação. Para que o atleta se mantenha atento, portanto, concentrado, precisa identificar aquilo que influencia determinantemente na execução da tarefa. Ou seja, tudo aquilo que o atleta pensa, lembra, sente e por fim decide o que fazer é fruto do que ele pode identificar.
Portanto, consciência da situação é o poder de controlar o quê está solidificado na mente do atleta. Para isso, a habilidade física, técnica, cognitiva (tática), emocional e outros fatores intervenientes, como conhecimento de regras, enfrentamento de situações adversas, comportamento social, experiências acumuladas na memória, são fundamentais para a formação daquilo que se consagrou denominar “atleta consciente”.

4º elemento da concentração: manutenção do foco

O quarto elemento é a manutenção do foco. Ou seja, para na medida em que a seleção do foco é definida, é preciso mantê-lo pelo tempo necessário até o fim da execução da tarefa.

Quanto mais rica a memória do atleta em termos de vivências e resultados memoráveis, melhor será a possibilidade em controlar a ansiedade a fim de se manter emocionalmente controlado e com isso produzir melhores níveis de concentração.

Observe que a excitação emocional está presente em todos os elementos da concentração e a mesma está intimamente ligada aos níveis de ansiedade. É extremamente difícil o atleta se manter concentrado se estiver emocionalmente muito excitado.

Em conclusão, podemos afirmar que a concentração é diretamente influenciada por nossa vontade, nossos pensamentos, memória, nossa saúde geral, emoção e por fim, como “sistema de avaliação” de tudo isso: nossa ansiedade!


Professor da Faculdade de Educação Física da UFJF; Mestre e doutor em Psicologia do Esporte (UGF); Especialista em didática e psicologia do esporte na Alemanha (Escola Superior de Esporte Alemã - Colônia) e Rússia (Instituto de Cultura Física de Moscou); Consultor de atletas em psicofisiologia (concentração, estresse. motivação e flow-feeling).

O que você achou do novo Vya Estelar?