imagem de capa

Vya Estelar Responde

Fala Leitor

Após o parto normal

Minha vagina ficou um pouco mais larga. E agora?

22 ago, 2018

Por Milena Liste

Resposta: O parto normal não é necessariamente a causa do “alargamento” da vagina. A gestação em si, é um fator do enfraquecimento do períneo ou músculo do assoalho (ou soalho) pélvico.

No período entre 37 a 40 semanas de gestação, o períneo teve que “carregar” o feto, a placenta, o líquido amniótico, além dos órgãos internos já existentes.

O enfraquecimento do períneo faz com que a mulher sinta esse alargamento, podendo ter perda urinária involuntária, incontinência fecal, falta de prazer ou não sentir a “pega” do pênis durante a relação.

O que é indicado, após conversar com seu ginecologista, é fortalecer essa musculatura pélvica, o períneo.

As contrações de Kegel (conhecido desde a década de 1980) nada mais são do que as contrações perineais ou contrações do músculo do assoalho pélvico. As contrações de Kegel e a do assoalho pélvico são a contração da musculatura vaginal. A diferença entre elas é que a primeira a paciente realizava com a bexiga com urina e a segunda com a bexiga totalmente vazia, o que é a forma correta. Realizar as contrações com a bexiga cheia pode provocar infecção urinária, pois solicitava-se que durante a micção, a mulher interrompesse o ato com a contração vaginal.

A contração perineal correta pode ser realizada de forma rápida ou de forma lenta. Na rápida, a mulher contrai e relaxa a vagina (pode ser 3 séries de 10 a 20 repetições) e lenta, onde a mulher contrai  e sustenta a contração por 3 a 7 segundos.

Seria adequado, a mulher ser avaliada por uma fisioterapeuta em uroginecologia.
 

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um médico ginecologista ou fisioterapeuta e não se caracteriza como sendo um atendimento.


Educadora física, pós-graduada em Fisiologia do Exercício e fisioterapeuta, pós-graduada em Fisioterapia Desportiva. Desde de 1997, atua como personal trainer há 15 anos na área de ginástica postural e RPG. Desde 2007, na área de uroginecologia trabalha com orientação e conscientização da saúde do homem, da mulher e de atletas quanto a musculatura pélvica e afecções. Supervisiona o curso de Fisioterapia em Obstetrícia e Uroginecolocogia da UNIFESP.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. A professora de Educação Física e Fisioterapeuta, Milena Imaizumi, responderá e-mails relacionados à saúde da mulher na área da atividade física, fisioterapia/obstetrícia, ginástica postural, ergonomia e RPG. Os e-mails serão selecionados e publicados de acordo com critério editorial do Vya Estelar. Seu nome e e-mail não serão divulgados.



O que você achou do novo Vya Estelar?