imagem de capa

Autoconhecimento

Minhas Atitudes

As infinitas percepções sobre o Natal

Cada desejo ou dor traz a sua forma de perceber o mundo e interpretar o dar e o receber dessa festa

18 dez, 2018

Por Samanta Obadia  

Os dias parecem iguais, mas as datas comemorativas carregam uma afetividade construída, independente de nossa vontade pessoal. Será que a razão kantiana ou o existencialismo sartreano seriam capazes de responder a isso? Sinto que não.

Tantas histórias me são confidenciadas em consultório nessa época natalina. Algumas lembranças alegres, outras doloridas. Mas invariavelmente vividas. Cada desejo ou dor traz a sua forma de perceber o mundo e interpretar o dar e o receber dessa festa, infantil em sua natureza, e simbólica em sua fé.

Trânsito livre entre Papai Noel e Jesus Cristo. Fantasia e realidade. Mito e fé.

De verde e vermelho, a festa é anunciada e preparada. Cartas são escritas, presentes esperados. Rituais são feitos, orações pronunciadas.

De um lado e de outro, mãos são enlaçadas em nome da paz.

Tentamos resgatar a vida e a alegria na troca amorosa presente na anunciação daquele que chega. Seja o bom velhinho com sua sacola cheia de presentes, seja o menino iluminado que vem para propagar o verdadeiro amor.

De ambos os lados, o Bem virá.

A expectativa enche os corações de alegria, como festa esperada.

- Mamãe! Mamãe! – grita minha filha soluçando em seu quarto.

Assustada, vou ao seu encontro e a vejo chorando em sua cama.

- O que houve, minha menina?

- Não pode ser verdade. Eu não vou acreditar nisso! – Chorava copiosamente aos cinco anos de idade.
- Filha, o que houve? Conta para mamãe.
- Meu amigo me disse que papai Noel não existe. Isso não pode ser verdade. Eu estou muito triste com isso.

A abracei carinhosamente e acolhi seu choro em silêncio. Naquele instante não havia palavras. Havia um vazio triste que não poderia ser preenchido.

Não se tira a fé de uma criança!


Samanta Obadia é Escritora, Psicanalista e Filósofa com especialização em neurocognição. Palestrante dinâmica e inovadora, com ampla experiência em relacionamentos afetivos na clínica psicanalítica e em Orientação Educacional para jovens e familiares.

O que você achou do novo Vya Estelar?