imagem de capa

Vya Estelar Responde

Fala Leitor

De A a Z: o significado da religião no relacionamento amoroso

Verbete de hoje: religião

20 dez, 2018

Verbete explicado a partir do e-mail enviado por uma leitora:

“Olá. Já tentamos de tudo e não fazemos mais as coisas juntos,  não planejamos juntos. Nunca fomos amigos apesar de nos gostarmos, casamos por causa da religião. A cada ano percebo o desgaste aumentar. Quero me separar mas tenho medo de sofrer muito. Qual indicação você poderia me dar?”

Por Anette Lewin

Se vocês se casaram por causa da religião, parece que agora chegou a hora de rever esse casamento e o que essa união de fato oferece a vocês.

Você diz que vocês se gostam. E diz isso no plural “apesar de nos gostarmos”, você escreve. Sinal de que existe algum grau de cumplicidade na relação. Talvez vocês não saibam transformar essa cumplicidade em ações a dois. Porque a religião oferece os princípios , mas não os meios; diz o que fazer mas não como fazer. Será que é possível mudar isso? Talvez. Se você começar com pequenas propostas que sejam agradáveis para os dois, é possível despertar no casal a sensação de que agem juntos. Tomar um café, um sorvete, comprar algo para a casa ou arrumar juntos algo que quebrou pode ser o começo. E a partir daí, encontrar um sentido para o relacionamento que transcenda o casamento pela religião.

Casar-se com alguém da mesma religião não é, por si só, passaporte para o sucesso ou para o fracasso do relacionamento. Parece que você está numa postura ambígua com relação à responsabilidade que a religião tem nos problemas que vem enfrentando. Afinal, como foi dito, vocês se gostam. A relação não parece ser apenas uma imposição que você engoliu sem questionar. Assim, talvez valha a pena tentar dar a esse casamento um tempero pessoal. Afinal, nenhuma religião apresenta todos os passos que o casal deve seguir para ter sucesso no relacionamento amoroso. A religião dá apenas uma diretriz básica. O resto tem que ser construído no dia a dia através de boa vontade, da compreensão das necessidades de cada um, da generosidade, do saber perdoar eventuais erros e da persistência para chegar aos objetivos em comum.

Amadureça essa ideia em sua cabeça, faça pequenas tentativas de agir em conjunto e veja se consegue “se casar novamente” com a pessoa que você escolheu através do meio religioso. Para isso, é preciso prestar muita atenção nas características dessa pessoa e nas suas próprias características e ver se você a escolheria caso ela não fosse da sua religião. E a partir daí entender melhor como esse relacionamento funciona e se vale a pena continuar com ele ou se seria melhor enfrentar o medo do sofrimento e arriscar numa nova relação.

De qualquer forma, risco por risco, parece mais lógico tentar antes arriscar novas atitudes dentro do casamento do que sair dele com a sensação de que não esgotou todas as possibilidades de transformá-lo em um casamento saudável e amadurecido através do toque pessoal de cada um de vocês.

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um psicólogo e não se caracteriza como sendo um atendimento.


É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor(a), ainda mais pertinho de nós. A psicóloga Anette Lewin responderá perguntas enviadas por você sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos:

1º formato: responder as perguntas enviadas por você;

2º) formato: extrair uma palavra em específico de uma pergunta que você enviou (ex: traição). E partir desta palavra, revelar o significado do que sentimos ao nos relacionar. Seu nome e e-mail serão preservados.

person Anette Lewin
event 01 jan, 2016

O que você achou do novo Vya Estelar?