imagem de capa

Comportamento

Amor

Ignorância do marido pode ser considerada assédio? Como lidar?

Há medidas legais cabíveis, assim como tratamentos psicológicos voltados para a necessidade de cada casal

25 jan, 2019

Por Andrea Lorena

E-mail enviado por uma leitora:

“O meu marido é ignorante. Quando faço algo que ele não gosta, ele grita comigo. Ontem ele me xingou com palavrões muito fortes, porque eu lavei as verduras na pia e a pia entupiu. Não é a primeira vez que ele me xinga. Já conversei com ele sobre isso, mas sempre acontece. Eu fico calada pra evitar piores discussões. O que eu faço?”

Resposta: Para começarmos, acho importante descrever a origem da palavra ignorante. Ignorante tem sua origem no latim, “IN” significa não e “GANRUS”, aquele que domina o assunto ou saber. Logo, ignorante é o não saber.

As pessoas podem agir e se comportar de forma ignorante, ou seja, por não deterem o conhecimento do que é plausível ou socialmente aceito; agem guiadas pelo “não saber”, pela falta de conhecimento. Por outro lado, também podem agir com ignorância, aqui no sentido popular com a conotação de agressividade, e muitas vezes, de forma voluntária.

Somado a isso, também existem os fatores psicológicos envolvidos na pessoa dita como ignorante? Ele(a) é impulsivo? Tem baixa capacidade de suportar frustração?

Todos estes elementos somados podem levar a comportamentos disruptivos (destrutivos) e agressivos, os quais, em casos extremos podem ser considerados assédio. Diante deste, existem medidas legais cabíveis a cada caso, assim como tratamentos psicológicos voltados para a necessidade de cada casal.

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um psicólogo e não se caracteriza como sendo um atendimento.

 


Andrea Lorena é psicóloga. Doutoranda pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Possui mestrado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). É coordenadora dos setores de pesquisa e tratamento do Amor Patológico e Ciúme Excessivo do Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso (PRO-AMITI) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. www.psicologiaecognicao.com

O que você achou do novo Vya Estelar?