imagem de capa

Livre-se de uma espinha dolorida e inchada

Saiba por que não é indicado espremer uma espinha

Da Redação

Uma das coisas mais frustrantes que existe é dormir com a pele limpa e radiante e acordar com uma espinha gigante no rosto. E se ela é ainda dolorida e inchada, é hora de contra-atacar para reduzir o inchaço e vermelhidão. “Mas é necessário ter cuidado, porque substâncias que secam a pele em demasia podem acabar piorando o quadro acneico por conta do efeito rebote – compensação do organismo para a retirada da oleosidade e proteção da pele”, afirma o dermatologista Dr. Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Então, o que deve ser feito?

1º passo: comece com ácido salicílico

Se estamos falando de uma espinha isolada, daquelas internas ou vermelhas, sem a famosa coloração amarelada (nesse caso, chamamos de pústulas), para uma emergência podemos utilizar o ácido salicílico. Para o paciente que não é alérgico, dissolver um comprimido de aspirina com um pouco de água até que se forme uma pasta e aplicar com um cotonete em cima da lesão de acne, deixando agir durante à noite. O ácido acetilsalicílico é anti-inflamatório. É importante usar protetor solar não oleoso no dia seguinte e prosseguir com a lavagem ao acordar.

2º passo: resolva o inchaço

Aplicar gelo envolto em um tecido ou bolsas pequenas de gelo, por alguns minutos. O gelo é anti-inflamatório e faz desinchar a espinha rapidamente. Isso pode ser feito três vezes por uma hora, com 10 minutos de intervalo.

3º passo: mate as bactérias

Logo após, é necessário agir para atacar as bactérias. Nesse caso, uma substância que pode ser usada é o peróxido de benzoíla, que destrói as bactérias causadoras de acne que ficam presas no folículo, causando inflamação. Para evitar a irritação, certifique-se de preparar a pele com um hidratante leve primeiro, em seguida, tratar o cisto com uma camada superfina de peróxido de benzoíla. Se qualquer queimadura ou ardência ocorrer quando você aplicá-lo, você saberá que é muito forte e você deve lavá-lo imediatamente.

Segundo o dermatologista, principalmente depois de uma semana, cabe um alerta importante às pessoas que querem se ver livres da espinha e decidem “estourá-la”. Não é indicado espremer, pois piora a inflamação, aumentando o avermelhamento e dificulta a cicatrização, fazendo com que manchas e cicatrizes surjam. Para aquela espinha em que se vê um pontinho amarelo, uma dica é fazer uma compressa com gaze e chá verde morno na lesão por alguns minutos, 3 vezes ao dia, para facilitar com que a própria espinha drene naturalmente mais rápido. Na evolução da acne, é possível usar cápsulas de Fosfolipídeos de Caviar (FC Oral) para ajudar a controlar o processo de inflamação.

Em casos mais severos de acne, com acometimento importante e múltiplas lesões persistentes, é necessário o uso de medicamentos via oral com antibióticos, corticoides e anti-inflamatórios, para controlar a infecção e inflamação, receitados por dermatologista.

Fonte: Dr. Jardis Volpe, dermatologista. Formado pela Universidade de São Paulo (USP); Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia; Membro da Sociedade Americana de Laser, da SBD e da Academia Americana de Dermatologia; Pós-graduação em Dermatocosmiatria pela FMABC; Atualização em Laser pela Harvard Medical School.

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um médico dermatologista e não se caracteriza como sendo um atendimento.


Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.

O que você achou do novo Vya Estelar?