imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Saúde e Drogas

Uso de crack combinado à maconha é conhecido como "mesclado"

Mesclado é uma das principais formas de consumo de crack

01 jan, 2016

por Danilo Baltieri

"Sou usuário de mesclado (maconha misturada com crack). Após tragar a fumaça, sinto que desperta um formigamento forte dentro de meu corpo, como se despertasse algum tipo de bicho ou parasita dentro de mim. Depois de algum tempo, o formigamento passa, mas só ocorre quando inalo crack. Luto para largar, mas tenho recaídas."

Resposta: O mesclado (crack mais maconha) é mais uma das formas de uso do crack.

De fato, o uso de crack pode ser combinado com outras substâncias, como o cigarro de tabaco ou a maconha. A combinação do crack com tabaco é conhecida como "pitilho" ou "cisclado", a qual parece ter efeito mais ameno do que o uso da pedra de forma isolada. Alguns usuários preferem fazer esse uso combinado, principalmente em locais públicos.

O uso de crack combinado à maconha é usualmente conhecido como "mesclado" ou "melado". Tem sido empregado com fins de diminuir a fissura e demais efeitos ansiosos e estimulantes do crack, de maneira a permitir descontinuar seu uso e facilitar ao usuário o retorno às suas atividades de rotina. O uso combinado com a maconha é também feito objetivando compensar a diminuição dos efeitos psíquicos do crack. De fato, no Estado de São Paulo, principalmente entre jovens, o uso do mesclado tem sido uma das principais formas de consumo de crack. Infelizmente, dados de prevalência confiáveis sobre o uso do crack na forma de mesclado estão faltando.

Um usuário que mistura substâncias pode conseguir ainda mais efeitos deletérios do que o uso de uma única droga. Seguramente, a mistura de drogas com efeitos diversos (sinérgicos ou antagônicos) aumenta a chance de sintomas físicos e psíquicos variados e de overdose de uma ou de outra. A associação de crack com cannabis aumenta a chance de problemas cardíacos e vasculares, como hipertensão e arritmias.

Os efeitos das duas drogas combinadas são altamente deletérios. Seguramente, o conselho natural é a busca por um tratamento efetivo. Tenho já descrito vários dos sintomas provocados pelo uso de cocaína/crack e da maconha aqui no Vya Estelar. Agora, imagine esses efeitos combinados, gerando sintomas variados e altamente nocivos, afetando suas habilidades cognitivas, afetivas e funcionamento cardíaco e cerebral.

Está mais do que na hora de você se movimentar no sentido de cessar o consumo dessas substâncias. Muitas vezes, o usuário crônico demonstra prejuízos no reconhecimento dos próprios efeitos negativos que essas substâncias provocam, negando os sintomas cardíacos, psicológicos, sociais, familiares advindos disso. Também muitas vezes, esse usuário aponta várias outras causas para os sintomas que está sentindo, exceto o uso de drogas, que é o mais óbvio.

Deixe de perder seu tempo e sua saúde.


Médico psiquiatra. Mestre e doutor em Medicina pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador geral do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Instituto de Psiquiatria da FMUSP (GREA-IPQ-HCFMUSP).Tem experiência em Psiquiatria Geral, com ênfase nas áreas de Dependências Químicas.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor(a), ainda mais pertinho de nós. O psiquiatra Dr. Danilo Baltieri responderá perguntas enviadas por você sobre dependência química e vícios: drogas, álcool, cigarro e psicotrópicos. Os e-mails serão selecionados e publicados de acordo com critério editorial do Vya Estelar. Seu nome e e-mail não serão divulgados.

person Marta Relvas
event 06 nov, 2018

O que você achou do novo Vya Estelar?