imagem de capa

Vya Estelar Responde

Fala Leitor

Existe depressão pós-casamento? Como superá-la?

Essa sensação pode ser comum no início do casamento

01 jan, 2016

por Anette Lewin

"Casei há um mês e meio, ando me sentindo tão triste. Fico dividida entre a casa de minha mãe e minha atual casa. Estou tão perdida. O que devo fazer para melhorar?"

Resposta: Sua casa, até um mês e meio atrás, foi a casa de sua mãe.

Você estabeleceu vínculos com essa casa, acostumou-se com cada cantinho dela, criou hábitos, viveu bons e maus momentos, enfim, deixou para trás uma casa cheia de significados. Para morar onde? Em uma casa nova, talvez ainda sem toda a mobília, e principalmente vazia de significados. Quase nada aconteceu ainda em sua casa; ela deve parecer estranha e talvez até meio deprimente, não é?

Ficar sozinha em um lugar que ainda não tem suas marcas deve despertar em você uma certa inquietação, algum vazio e a vontade de voltar para o "ninho" quente que você deixou para trás. Natural.

Boa parte das pessoas que se casam podem ter essa sensação no início do casamento. Caso você precise visitar sua antiga casa de vez em quando, não se prive desse conforto. Vá quando se sentir só, passe umas horas por lá, envolva-se no seu velho cobertor, descanse no seu antigo quarto de solteira e, por que não, leve para sua nova casa alguns objetos ou roupas que ficaram por lá. Talvez eles, simbolicamente, possam trazer a sensação de que você está levando " pedacinhos de conforto" para esse novo lugar e através deles "esquentando" essa casa ainda tão gelada.

Procure também explorar a casa de todos os ângulos e pontos de vista: mesmo que algum profissional tenha ajudado você a decorar seu espaço, não hesite em mudar as coisas de lugar até encontrar a forma que pareça mais confortável para você. Nem sempre o mais bonito, do ponto de vista técnico, é o mais aconchegante para quem realmente vai morar ali dentro. Tente encontrar o ponto de equilíbrio que lhe seja confortável.

Entenda que casar e começar uma vida nova num lugar novo pode ser muito estimulante como ideia mas, passada a fase de preparativos, de festa, de viagem de lua de mel, existe o dia a dia que ninguém mostrou a você como é. Pode-se reproduzir uma festa que se achou interessante, fazer uma viagem vista numa revista especializada e comprar lençóis e toalhas recomendados pelas amigas. Mas nenhuma amiga pode lhe dizer qual a melhor forma de preencher sua casa e sua vida de casada.

Essa é uma descoberta que você vai ter que fazer sozinha com seu marido. E leva algum tempo, viu? Não se sinta um ET por causa disso! Quando menos esperar, você perceberá que os significados e o calor começarão a preencher sua nova casa. E aí você poderá sentir o prazer de ter um lar, não apenas uma casa.

Quatro dicas para se adaptar à vida de casada:

1ª) Se sentir necessidade, ou se sentir só, visite a casa de seus pais de vez em quando e fique algumas horas por lá;

2ª) Leve para sua casa atual alguns objetos ou roupas que ficaram na sua antiga casa;

3ª) Reorganize o posicionamento dos móveis até encontrar uma 'ordem' que pareça mais confortável para você, nem sempre o ponto de vista estético do decorador é o que nos traz mais bem-estar;

4ª) Os preparativos do casamento e a lua de mel podem ser momentos mágicos, mas em seguida vem o dia a dia e a necessidade do casal preencher essa nova vida com novas descobertas e significados.


É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor(a), ainda mais pertinho de nós. A psicóloga Anette Lewin responderá perguntas enviadas por você sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos:

1º formato: responder as perguntas enviadas por você;

2º) formato: extrair uma palavra em específico de uma pergunta que você enviou (ex: traição). E partir desta palavra, revelar o significado do que sentimos ao nos relacionar. Seu nome e e-mail serão preservados.

O que você achou do novo Vya Estelar?