imagem de capa

Escova de dentes tem de ter acesso a todos os dentes sem machucar

Da Redação

Certamente, ninguém compra um sapato apertado, pois pode causar um grande incomodo e machucar os dedos.

A escova dental deve ter a mesma importância na hora da escolha: cabeça pequena e adequada ao tamanho da arcada dental e cerdas ultramacias são itens que podem proporcionar uma escovação totalmente suave e delicada em todos os dentes, sem causar danos ao esmalte dental.

Desde a primeira escova de dente usada pelo homem, cujas cerdas eram feitas com pelos de porcos, o mercado mundial lança muitas marcas e modelos bem diferentes daqueles usados no ano de 1498, na China.

Hoje há opções de cores, tamanhos, quantidades de cerdas, dentre outras peculiaridades que distinguem os produtos. Seja qual for a escova escolhida, explica o especialista Mestre e Doutor pela USP Dr. Hugo Lewgoy, o modelo deve ter total funcionalidade e compatibilidade com a arcada dentária, ou seja, deve possibilitar o acesso total a regiões e/ou áreas de difícil acesso.

A escova, sem dúvida, precisa alcançar todos os dentes de forma atraumática, isto é, sem machucar as gengivas, comenta o especialista.

A importância de uma escovação atraumática é preocupação mundial, sobretudo após a alimentação ou ingestão de bebidas (refrigerantes, sucos cítricos, café, chás e até água mineral), que podem causar acidez na boca. Essa acidez é neutralizada em cerca de trinta minutos pela saliva, porém, os dentes ficam sujeitos à erosão, que promove o amolecimento do esmalte dental, um revestimento externo e a proteção dos tecidos internos dos dentes (dentina e polpa)", explica.

Por conseqüência do constante uso de uma escova dura e inadequada, ocorre o à abrasão e desgaste do esmalte dental que já está comprometido pelo efeito da erosão. Portanto, aliada a uma boa técnica de escovação, as escovas devem ser escolhidas criteriosamente em função da qualidade e quantidade de cerdas, do tamanho da cabeça e sua anatomia.


Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.

O que você achou do novo Vya Estelar?