imagem de capa

Comportamento

Carreira

Por que sempre tive má sorte em todos os meus empregos?

Reflita sobre essa má sorte

01 jan, 2016

por Roberto Santos

"Sempre tive má sorte nos meus empregos. Sempre fui confrontada com patrões que não respeitam funcionários, trabalhos com horários completamente malucos não tendo tempo para mim, patrões que não pagavam, colegas de trabalho problemáticos, etc. O que posso fazer para inverter esta situação que se arrasta desde de que comecei a trabalhar?"

Resposta: As dificuldades seguidas com experiências profissionais malsucedidas podem nos fazer oscilar entre a busca por explicações lógicas e a apelação para aquelas mais esotéricas ou para a sorte. Realmente, encontrar tantos insucessos em trabalhos como os que você descreve, pode ser muito desanimador e esse sentimento pode ser ampliado quando sucumbimos a eles.

Nestes casos, nossa percepção pode ser abalada e faz com que só percebamos o que tem de negativo na nova vivência, que poderia até ter algo de positivo. Além disso, passamos a esperar pelo próximo infortúnio ou quase que produzi-los em nossas mentes, perdendo totalmente a avaliação lógica e racional sobre os eventos que estamos presenciando. Nossa reação, quando nos sentimos ameaçados, é quase que instintiva -- brigamos, congelamos ou fugimos. No seu caso, parece que você congela diante da ameaça e fica vendo a situação desenrolar-se negativamente, sem fazer nada a respeito. É como se sua profecia de que tem azar em todos seus empregos estivesse se realizando. E o que acontece? A profecia se realiza.

Reflita sobre essa má sorte

Uma tentativa mais produtiva seria fazer uma retrospectiva de suas escolhas profissionais, distanciando-se racionalmente dos sentimentos que os fracassos lhe proporcionaram. Fazer perguntas como:

- O que me levou a procurar este emprego?

- O que me parecia muito positivo naquela oportunidade?

- O que não me soava muito bem, mas eu relevei porque precisava do emprego?

- O que eu fiz para me manter no emprego que me satisfazia?

- Que tipo de competências me fizeram falta para conseguir aquele trabalho interessante e o quanto me esforcei para adquiri-las?

Estas perguntas poderão ajudá-la a deslocar sua atenção do azar e tomar medidas para que sua próxima escolha seja mais acertada e lhe traga mais satisfação e felicidade.

Porém, lembre-se que não existe emprego perfeito e aprenda a encontrar os aspectos positivos mesmo nas experiências imperfeitas -- eles sempre estarão lá para ser curtidos -- ainda mais cuidando de crianças. Boa sorte!


Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br

O que você achou do novo Vya Estelar?