imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Saúde e Drogas

Vida equilibrada é compatível com consumo moderado de maconha?

Filhos de pais usuários tendem a mostrar-se mais agressivos ...

01 jan, 2016

por Danilo Baltieri

"Minha filha e o marido têm uma vida normal. São muito trabalhadores, têm uma vida financeira equilibrada, são alegres e comunicativos. Porém, sei que eles fumam maconha discretamente. Meu netinho tem 18 meses, é uma criança saudável, amada e bem cuidada por eles. Mas vivo numa eterna angústia com relação ao futuro dessa criança. Ela poderá ser viciada? Como posso contribuir de forma positiva na prevenção?"

Resposta: Certamente, é uma situação bastante preocupante. O uso de maconha pelos pais pode produzir efeitos altamente nocivos sobre as crianças e os adolescentes em várias etapas da vida: quando estão crescendo, aprendendo, desenvolvendo-se física e psicologicamente e formando conceitos sobre o certo e o errado. Enquanto pai ou mãe, seu filho olhará para os pais como fonte de ajuda e orientação para a resolução de problemas e tomada de decisões, incluindo a decisão futura de usar ou não substâncias psicoativas. Como uma pessoa-modelo para seus filhos, a decisão dos pais de não utilizar ou fazer uso de drogas reforçará mensagens diferentes para os filhos.

Filhos de pais usuários de maconha tendem a mostrar-se mais agressivos e apresentar comportamentos mais regredidos. Além disso, tanto por fatores genéticos quanto ambientais, filhos de pais dependentes de cannábis têm maior chance de abuso/dependência futura.

Ainda reitero que baixas doses de cannábis podem provocar:

a) Sensação de bem-estar e relaxamento;

b) Sensação de que os sentidos estão mais aguçados;

c) Leve ou discreta alteração do pensamento e julgamento;

d) Prejuízo da coordenação motora;

e) Perturbação da percepção do tempo e espaço;

f) Acidentes de trabalho e domésticos;

g) Crises de ansiedade/pânico.

Notando alguns destes efeitos, podemos reiterar que há razões mais do que suficientes para os pais procurarem auxílio de profissional da saúde especializado para cessar o consumo desta substância imediatamente. Trabalhar, estudar ou mesmo cuidar de uma criança sob a influência de quaisquer substâncias pode ser um grave risco presente e futuro para todos.

Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psiquiatria e não se caracterizam como sendo um atendimento


Médico psiquiatra. Mestre e doutor em Medicina pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador geral do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Instituto de Psiquiatria da FMUSP (GREA-IPQ-HCFMUSP).Tem experiência em Psiquiatria Geral, com ênfase nas áreas de Dependências Químicas.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor(a), ainda mais pertinho de nós. O psiquiatra Dr. Danilo Baltieri responderá perguntas enviadas por você sobre dependência química e vícios: drogas, álcool, cigarro e psicotrópicos. Os e-mails serão selecionados e publicados de acordo com critério editorial do Vya Estelar. Seu nome e e-mail não serão divulgados.

O que você achou do novo Vya Estelar?