imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Saúde e Drogas

Como faço para parar de tomar antidepressivo?

Converse sempre com o psiquiatra que a acompanha

01 jan, 2016

por Joel Rennó Jr.

"Tomo há vários anos e não consigo sair. Será que meu organismo já se viciou? Vou sofrer com depressão o resto da vida?"

Resposta: Em primeiro lugar, quero deixar claro que antidepressivo não causa dependência. O que ocorre é que algumas pessoas têm a forma crônica da síndrome depressiva, com períodos de melhora alternados com períodos de piora. A depressão, do subtipo recorrente, é um exemplo assim.

A depressão pode exigir controle contínuo, com avaliações psiquiátricas regulares. Em algumas situações, pode ser necessário a troca ou associação de medicamentos; ou até o ajuste de dosagens.

Aspectos psicológicos também precisam ser trabalhados através da psicoterapia que auxilia muito na elaboração de conflitos intrapsíquicos, na mudança de foco dos pensamentos automáticos negativos perante situações vitais estressoras e também mudanças de comportamento e hábitos de vida essenciais para a plena recuperação e reabilitação psicossocial dos pacientes.

A depressão não pode ser subtratada, com a persistência de sintomas residuais, apesar da melhora clínica. O tratamento exige a remissão completa dos sintomas.

Converse sempre com o médico psiquiatra que a acompanha. Isso é o mais importante sempre!


Dr. Joel Rennó Jr. MD, Ph.D. Professor do Departamento de Psiquiatria da FMUSP. Diretor do Programa de Saúde Mental da Mulher - Instituto de Psiquiatria da USP. Médico do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein- São Paulo. Coordenador da Comissão de Estudos e Pesquisa de Saúde Mental da Mulher da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). www.psiquiatriadamulher.com.br

O que você achou do novo Vya Estelar?