imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Saúde e Drogas

É normal ficar deprimida e nervosa durante a menstruação?

Os antidepressivos podem até ser utilizados ...

01 jan, 2016

por Joel Rennó Jr.

"Tenho 49 anos, estou menstruando normalmente. Porém, no meu período menstrual sinto coisas muito ruins como depressão e o sistema nervoso abalado."

Resposta: Cerca de 3 a 10 dias antes da menstruação, parte das mulheres pode ter sintomas psíquicos como tristeza, irritabilidade, ansiedade, agitação, desânimo, fadiga, impulsividade e compulsões alimentares, além de dificuldades de atenção e concentração, entre outros sintomas.

Tais sintomas podem ser uma mera exacerbação de sintomas pré-existentes ao longo do ciclo menstrual ou terem se iniciado apenas nesse período que antecede o início do fluxo menstrual.

Com o início do fluxo menstrual, os sintomas tendem a cessar ou diminuir de intensidade. A principal disfunção associada a esses sintomas pré-menstruais é a serotoninérgica, ou seja, haveria nessas mulheres uma disfunção do sistema que regula a concentração do neurotransmissor (mensageiro químico cerebral) serotonina. A queda dos níveis de serotonina seriam responsáveis, portanto, pelos sintomas relatados.

Medicamentos antidepressivos da classe "inibidores seletivos da recaptura de serotonina" como a fluoxetina, sertralina, paroxetina e citalopram costumam aliviar muito os sintomas psíquicos e até mesmo os sintomas físicos. As dosagens utilizadas costumam ser menores do que as utilizadas no tratamento da depressão ou outros transtornos mentais como pânico, etc.

Os antidepressivos podem até ser utilizados apenas na segunda fase do ciclo menstrual, a fase lútea, que antecede a menstruação. Claro que não custa dizer, mais uma vez, que qualquer medicamento deve ser prescrito e acompanhado por um médico, sem autoprescrição que oferece sérios riscos à saúde. Os sintomas pré-menstruais costumam piorar após os 35 anos de idade e cessam, é claro, com o final da menstruação e início da menopausa.

Atenção!

Esse texto e esta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um médico psiquiatra e não se caracterizam como sendo um atendimento.


Dr. Joel Rennó Jr. MD, Ph.D. Professor do Departamento de Psiquiatria da FMUSP. Diretor do Programa de Saúde Mental da Mulher - Instituto de Psiquiatria da USP. Médico do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein- São Paulo. Coordenador da Comissão de Estudos e Pesquisa de Saúde Mental da Mulher da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). www.psiquiatriadamulher.com.br

O que você achou do novo Vya Estelar?