imagem de capa

Autoconhecimento

Minhas Atitudes

Você é uma pessoa apegada?

Quanto mais apego mais sofrimento

por Emilce Shrividya Starling

Sentimos falta de alegria quando somos dominados pelos sentidos e pelos venenos da mente.

No texto anterior a esse (veja aqui), refletimos como a raiva é um grande inimigo interior.

Hoje, vamos contemplar sobre outros venenos da mente como: ignorância, apego, orgulho, desejo, ciúme.

A ignorância é a raiz das emoções negativas e do sofrimento da mente. É não compreender a natureza verdadeira das coisas e não ter uma noção clara da vida. É não distinguir o que é bom do que é ruim. É ficar preso às amarras dos sentidos, desejando apenas o que é prazeroso em vez do benéfico. É a concepção errônea de que as coisas materiais são mais importantes que a paz interior.

Devido à ignorância erramos e sofremos tanto. Ela dá origem a todas as outras aflições e venenos da mente. Somente por causa dela, ficamos com raiva e agimos com agressividade, porque não compreendemos que a raiva só traz sofrimento e tristeza para nós e para os outros.

Da mesma maneira, somente temos orgulho, desejo e ciúmes devido à ignorância.

Ela traz o apego e insegurança emocional. As pessoas se apegam a seus bens, ao cargo que ocupam, às pessoas que gostam, pois se enganam pensando que lhes pertencem por terem conquistado. Mas isso é uma ilusão que faz com que elas se tornem egoístas, mesquinhas, autoritárias e orgulhosas.

Não somos donos das pessoas que amamos, nem de nossos filhos. Nada é verdadeiramente nosso. Tudo nos é emprestado pela vida. Tudo é impermanente.

É necessário treinarmos o desapego, mas poucos tentam, pois preferem se enganar que eles têm o poder sobre o que possuem e sobre tudo em suas vidas.

É fácil praticar o desapego? Não. Com certeza não. Mas é importante para nossa saúde mental, emocional e espiritual.

Contemplar sobre o desapego já é uma forma de começar a se libertar da opressão do apego.

Reflita se você é controlador e ciumento em seus relacionamentos. Você cerceia a liberdade de escolha do outro ou impede que ele se realize?

Você é muito apegado a seus bens materiais a ponto de sofrer e não tolerar que alguém use o que é seu? Sofre muito quando perde algum objeto ou ele se quebra?

Sente prazer em dar um bom presente, emprestar um livro, ajudar um filho ou parente que precise de ajuda? Você auxilia, com boa vontade, as entidades de caridade, doando contribuições em dinheiro ou mantimentos?
É preso aos seus preconceitos, pontos de vista e julgamentos preconcebidos? É resistente às mudanças? Ou se abre às novas ideias, ao dialogo e às novas oportunidades?

Você vive no passado, negando vivenciar o momento presente? Está preso ao tempo que já se foi, a juventude que se acabou, do amigo ou amor que saiu de sua vida? Ou você vive no presente, dando oportunidade para o novo e para aqueles que estão ao seu lado?

Você quer manter os filhos e as pessoas que ama em uma redoma intocável, achando que tem controle sobre os acontecimentos e o tempo? Ou compreende que não temos nenhum controle sobre a vida e que tudo começa e termina?

Precisamos entender que tudo passa. Quanto mais apego mais sofrimento. Quanto mais ligados às coisas, nunca ficaremos satisfeitos e sempre ansiaremos por mais. Quanto mais desejos, mais a nossa mente ficará inquieta, insatisfeita, frustrada.

Quando não temos uma visão real da vida devido à ignorância, criamos desejos e apegos. E, quando não conseguimos o que queremos, criamos aversão e ficamos com raiva acumulada que pode gerar depressão.

Libertar-se das emoções negativas perturbadoras é uma meta a ser alcançada dia a dia. Eliminar a ignorância e ilusões traz sabedoria que brilha na mente clara e pacífica.

Aprenda a lidar com suas emoções e use a inteligência emocional para se livrar dos sentimentos ruins que prejudicam seu corpo, sua mente e lhe fazem infeliz.

Comece desenvolvendo a sabedoria do discernimento e o agradecimento a tudo que tem em vez de querer coisas melhores. Valorize suas posses e bênçãos e aprecie as qualidades dos outros.

Conte suas bênçãos. Agradeça a seu pai e sua mãe pelo dom da vida. Agradeça ao seu alimento e sinta agradecido por tudo. Mostre sua gratidão aos outros.

Pacifique suas emoções. Exercite o desapego. Esteja presente e desfrute de cada momento com uma mente centrada e calma. Permita-se descobrir o novo e as oportunidades de ser mais feliz no aqui e agora. Namaste! Deus em mim agradece Deus em você! Fique em paz!
 


É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/S.P, com aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos. É professora de Hatha Yoga em Santos (SP), desde 1989. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.

O que você achou do novo Vya Estelar?