imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Atividade Física

O que é mobilização psicofísica?

01 jan, 2016

por Renato Miranda

A UNIVERSÍADE é uma competição mundial entre universitários. São os Jogos Olímpicos Universitários. Apesar de muitos atletas olímpicos de vários países participarem, sobretudo da Europa e Estados Unidos e também do Brasil, nossa mídia não repercute essa sensacional competição, mas nem por isso deixa de ser um evento esportivo extraordinário.

Este ano a competição será na cidade de Belgrado na Sérvia entre os dias 29 de junho a 13 de julho. Muitas competições de diversas modalidades serão vistas por milhares de pessoas, principalmente da Europa e envolverá toda a Sérvia em mais um evento olímpico mundial.

Em competição desse nível muitas disputas são decididas em frações de segundo, como no caso do atletismo ou em pequenos detalhes como na ginástica olímpica. Desse modo vem à minha mente uma pergunta de vários atletas: o que mais preciso fazer para intervir bem nas competições? Respondo: mobilização psicofísica.

Essa é uma expressão que por si só não quer dizer muita coisa, embora seja muito utilizada nos meios esportivos e acadêmicos. Então vamos a uma breve explicação:

Mobilização psicofísica

Um estado psicofísico de mobilização é a totalidade de habilidades psíquicas (emocionais e mentais) e físicas mobilizadas (reunidas e interligadas) para uma intervenção esportiva específica. Em poucas palavras é um modelo de estado atlético ótimo. Portanto, quando o atleta reúne esses três componentes (físico, emocional e mental) em níveis elevados de desempenho e consegue, de maneira funcional e intensa, desempenhar suas funções utilizando todo esse potencial, o atleta, enfim, estará mobilizado.

O componente físico é determinado pelas capacidades físicas concretas para a atuação do atleta na competição. Significa dizer, por exemplo, que ao falar de uma atleta de ginástica olímpica, força, flexibilidade, coordenação, resistência orgânica e outras capacidades físicas, são capacidades essenciais.

O componente mental é definido como o programa preciso do comportamento pretendido pelo atleta. É justamente esse programa que representa as formações de estruturas táticas de competição.

O componente emocional é o nível mais adequado de excitação emocional, que possibilita o melhor modo de intervenção do atleta. Um atleta emocionalmente mobilizado não se irrita e tampouco ele fica apático, nas mais diversas situações de disputa esportiva.

Em conclusão, a preparação do atleta deve ter uma orientação integrativa para proporcionar uma rigorosa interrelação e interdependência entre os componentes acima.

Para a facilitação de um estado de mobilização psicofísica, o passo mais importante é a qualidade dos treinamentos integrativos. Para tanto, é preciso que os treinamentos sejam realizados com:

Níveis ideais de intensidade e desafios: são treinos que exigem o máximo do atleta sem esgotamento e com desafios harmônicos – não são fáceis e nem extremamente difíceis.

Exigência psicomotora compatível com o atleta: é oferecer ao atleta apenas aquilo que, ao menos ele tenha possibilidade de realizar ou aprender.

Controle do estímulo – descanso: as cargas de treinamento precisam ser controladas (para evitar excessos ou precariedade) e conter períodos de descanso de qualidade.

Ritmo ideal: o volume de treinamento (duração e quantidade de sessões de treino), o controle da intensidade, exigência técnica, tática e psicológica associados ao período de descanso, ditam basicamente o que chamamos de ritmo ideal.

Por fim, volto à Universíade e torço para que nossos atletas consigam uma mobilização psicofísica ótima até o fim da competição.
 


Professor da Faculdade de Educação Física da UFJF; Mestre e doutor em Psicologia do Esporte (UGF); Especialista em didática e psicologia do esporte na Alemanha (Escola Superior de Esporte Alemã - Colônia) e Rússia (Instituto de Cultura Física de Moscou); Consultor de atletas em psicofisiologia (concentração, estresse. motivação e flow-feeling).

event 03 dez, 2018

O que você achou do novo Vya Estelar?