imagem de capa

Comportamento

Carreira

Descobri que a empresa paga mais pela minha função. O que faço?

01 jan, 2016

por Roberto Santos

"Na hora da entrevista fiquei um pouco nervosa, por ter sido em inglês e não discuti muito a pretensão salarial. Eu disse apenas o valor: 30% a mais que o meu salário atual. O RH aceitou exatamente a proposta que pedi. Porém, após a entrevista, percebi que o salário continua defasado no mercado e que o salário de função equivalente dessa empresa é 45% a mais. Quero refazer a minha pretensão, pois tenho MBA e concluo nova graduação em 2015. Acha que devo fazer uma contraproposta? Qual é a melhor forma de fazê-la?"

Resposta: Muito válida sua questão que certamente é compartilhada por muitos outros leitores - tanto pela insatisfação com o emprego atual e a busca de mais oportunidades de carreira em novos ares, quanto à falta de planejamento e pesquisa sobre a empresa que almejamos antes da entrevista; e ainda quanto a fazer uma contraproposta depois que já acataram o que pedimos. Por isso, mesmo que minha resposta chegue atrasada em relação à sua decisão, compartilho minhas ideias e sugestões.

Ansiedade pode prejudicar negociação salarial

Quando estamos insatisfeitos no emprego atual, especialmente se esta insatisfação já deteriorou sua motivação que se transformou em ansiedade para mudança. Quando esta ansiedade passa do ponto que nos faz mover-nos na direção de uma evolução, ela pode nublar nossa análise e nossa capacidade de planejamento de como vamos conseguir o que buscamos.

Chegamos à frente de um selecionador, ansiosos para conseguir a libertação da fonte de nosso estresse e frustração; e nos colocamos com uma disposição de aceitar qualquer coisa para respirar ares motivacionais novamente, mesmo que sejam apenas uma promessa.

Contraproposta pode ter impacto negativo

Você ainda conseguiu usar um regra bem comum do mercado que foi pedir 30% sobre seu salário atual, teoricamente, um valor suficiente para motivá-la a fazer a troca. E essa pretensão não tem a ver, em princípio, com as faixas praticadas pela empresa, mas sim com o que você quer ganhar. Quando você teve a confirmação de aceite de sua pretensão e de quebra ainda contar com perspectivas de carreira que não tem na empresa atual, uma contraproposta pode ter um impacto negativo para sua imagem de profissionalismo. Além disso, se estamos falando de uma empresa séria e estruturada, você estará fora da faixa/estrutura salarial da empresa e ela poderá fazer um acerto em pouco tempo, depois de você confirmar sua parte na "promessa" de agregar valor com comprometimento e resultados.

Brechas:

1ª) Remuneração total

Contudo, há uma brecha para discutir, não uma contraproposta de salário, mas considerar a remuneração total, caso ela não tenha sido discutida. A remuneração total inclui, além do salário, a remuneração indireta na forma de benefícios e de formas de remuneração variável como bônus ou participação nos resultados.

2ª) Reajuste integral

Procurar saber ainda qual é a data de ajuste por convenção coletiva e negociar de ter o reajuste integral, mesmo que o ajuste da categoria se dê a curto prazo, é outra forma interessante de reduzir aquela defasagem que a preocupa. Além de perguntar sobre o pacote de remuneração total, você pode perguntar mais sobre a política de mérito para saber quando poderá esperar um reajuste, caso tenha um desempenho superior.

Enfim, em situações semelhantes, você deve pensar antecipadamente no seu pacote completo para comparar com o proposto e ter claro o que é aceitável e o que é o ideal, para depois que aceitar a proposta da empresa, não mostrar "arrependimento" e querer reverter -- há o risco de a outra parte julgar imprópria essa atitude e você perder a oportunidade de resolver o problema do presente e a promessa de um futuro mais brilhante com sua nova graduação e MBAs.

 

 


Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br

event 02 abr, 2019

O que você achou do novo Vya Estelar?