imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Saúde e Drogas

Como motivar prática de atividade física em crianças e adolescentes?

01 jan, 2016

por Ricardo Arida

A atividade física tem um importante papel no desenvolvimento e maturação das crianças. Estudos têm mostrado que o exercício físico induz significante melhora cognitiva durante o desenvolvimento cerebral. Uma meta-análise conduzida em 16 estudos encontrou uma relação positiva entre atividade física e aprendizagem e grau de inteligência em crianças de idade escolar*.

Ainda, outras investigações demonstram positiva correlação entre atividade física nas idades de 15-25 anos e velocidade de processamento de informações em idade avançada (62–85 anos)**. Neste sentido, tem se tornado cada vez mais claro a importância da inclusão da atividade física regular nos hábitos das atividades diárias das crianças e adolescentes. Não devemos esquecer que a atividade física ou esportiva deve ser realizada por toda a vida, e não somente nessa fase em que está sendo abordada.

Michelle Obama lança campanha "Let's Move!"

A primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, está lançando uma campanha para solucionar a epidemia da obesidade infantil nos EUA*** (veja o site abaixo). Quase um terço das crianças americanas são obesas ou estão acima do peso ideal; uma taxa que tem dobrado para crianças ou triplicado para adolescentes nos últimos 30 anos naquele país. Em resposta a essa situação crítica ou como eles estão dizendo, crise da saúde, a primeira-dama está conduzindo uma campanha pública nacional chamada Let’s Move! para melhorar a saúde das crianças.

Agências federais e milhares de parentes, professores, profissionais da saúde e outros estão em ação. Considerando que crianças com idade de 8 a 18 anos permanecem em média 7 ½ h usando computadores, TV, videogames e celulares, e somente um terço um de estudantes de ensino básico apresentam níveis recomendados de atividade física, essa campanha representa um passo importante para tentar solucionar esse problema de saúde pública.

Segundo os organizadores dessa campanha, para aumentar a participação de atividades físicas, as crianças precisam de vias seguras para caminhar e pedalar para a escola, parques, playgrounds e centros comunitários onde elas possam estar ativas após o período escolar.

Ainda, os idealizadores dessa campanha acreditam que os pais também têm um papel importante em fazer escolhas saudáveis para seus filhos, porque as decisões iniciais em relação à alimentação e atividade física ocorre em casa. Partindo do princípio que as crianças aprendem pelo que veem os adultos fazerem, isto é, se as crianças presenciam seus pais com uma alimentação saudável e atividade física, elas tendem a fazer o mesmo.

Achados científicos mostram que indivíduos que praticam atividades físicas ou esportivas durante a infância ou adolescência apresentam no futuro uma melhor realização acadêmica e profissional.

Campanhas para mais atividade física tem sido realizadas no Brasil, as quais têm alcançado pessoas de diferentes idades. Entretanto, parecem ser necessárias campanhas específicas para informar e estimular a prática de atividades físicas e/ou esportivas durante o período da infância e adolescência. Essa iniciativa contribuirá não somente para o problema da obesidade infantil e consequentemente a melhora da saúde física dos jovens, mas também para uma melhora cognitiva (capacidade de aquisição de conhecimento) dessas pessoas.

*Sibley BA, Etnier JL. The relationship between physical and cognition in children: a meta-analysis. Pediatr Exerc Sci. 2003:15:243-256.

**Dik M, Deeg DJ, Visser M, Jonker C. Early life physical activity and cognition at old age. J Clin Exp Neuropsychol. 2003 Aug;25(5):643-53.

***http://www.letsmove.gov


Possui graduação em Educação Física pela Universidade de São Paulo (1980), mestrado em Medicina (Neurologia) pela Universidade Federal de São Paulo (1995), doutorado em Medicina (Neurologia) pela Universidade Federal de São Paulo (1999) e pós-doutorado pela Universidade de Oxford-UK. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência nas áreas de Neurociências e Fisiologia do Exercício Mais informações: www.ricardoarida.wordpress.com

O que você achou do novo Vya Estelar?