imagem de capa

Comportamento

Família

Como se libertar de uma mãe superprotetora ao entrar na vida adulta?

por Blenda de Oliveira

"Tenho uma mãe superprotetora. Ela não parece ser minha amiga, e sim uma detetive que quer rastrear meus passos e controlar o que devo ou não fazer. Minha vida até agora foi assim. Tenho 21 anos, estou tentando quebrar essas correntes que foram sustentadas: a chantagem emocional e agressões verbais. Nunca me dei bem com ela. Por ter opinião própria e ter espírito independente, sempre me teve como uma filha revoltada. Agora sinto os danos nas minhas atitudes. Falta de confiança, medo e insegurança. As vozes ecoam no meu inconsciente: 'você não pode fazer isso; isso é errado; eu desaprovo aquilo'".

"Para libertar-se da mãe, é preciso passar por um processo de individuação"

Resposta: O processo de individuação requer coragem e pode não acontecer num tempo muito rápido, pois se assim fosse, teria que romper completamente e buscar seu caminho. Não me parece que essa seja a melhor opção.

De qualquer forma, você ainda depende de sua mãe e tem por ela sentimentos dúbios. Não suporta sua ingerência sobre sua vida, mas também se vê prisioneira de suas palavras. Terá que aprender a encontrar uma forma de lidar com isso que lhe deixe um pouco mais confortável para que possa ir, aos poucos, delimitando os limites e ser você quando puder ser.

Minha sugestão é que procure alguém, um psicoterapeuta, para lhe ajudar nesse processo. É um processo que requer de sua parte energia para ouvir e não ouvir as vozes que há muito já foram inscritas em seu inconsciente, mas não significa que terá que seguir o que "elas" insistem em lhe dizer.

Vale lembrar que nesse processo não é possível não desagradar alguém. Você terá que fazer uma opção: continuar se sentindo agredida, mas fornecendo a sua mãe a total tolerância às carências dela das quais você não é responsável ou passar a se colocar no topo da lista das prioridades?

Para fazer o omelete alguns ovos precisam ser quebrados, depende do tamanho do omelete que queira fazer.

Boa Sorte!

 

 


Doutora em psicologia clínica pela PUC-SP. Psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP). Psicoterapeuta de adultos, adolescentes, crianças, famílias e casais. Atuante como Life Coaching em diversas áreas, utilizando essa metodologia para colaborar nos processos de sucessão familiar nas empresas.

O que você achou do novo Vya Estelar?