imagem de capa

Comportamento

Carreira

Conheça os três pontos positivos da baixa autoconfiança que podem alçá-lo ao topo

Pessoas vitoriosas sempre experimentam níveis baixos de confiança e autoconfiança

31 maio, 2017

por Roberto Santos

Não há clichê mais comum na psicologia do que ouvir que ter confiança é a chave para o sucesso na carreira. Está na hora de derrubar esse mito. Na realidade, é mais provável que você seja bem-sucedido se contar com uma boa dose de baixa autoconfiança. Existem três razões principais para isso:

1. Baixa autoconfiança faz com que você preste mais atenção ao feedback negativo e se torne autocrítico:

A maioria das pessoas se prende em um comportamento otimista, o que faz com que geralmente aceitem o feedback positivo e ignorem o feedback negativo. Apesar de esse comportamento ajudar a exalar confiança para as outras pessoas, em qualquer área de competência (por exemplo, educação, carreira, esportes) o sucesso equivale a 10% de performance e 90% de preparação. Além disso, quanto mais consciente você estiver de suas fraquezas, mais preparado você estará.

A baixa autoconfiança pode tornar uma pessoa pessimista, mas quando o pessimismo se junta à ambição pode, com frequência, gerar performances espetaculares. Para ser o melhor, você precisa ser o seu crítico mais duro, e isso é muito de difícil de acontecer quando você é uma pessoa extremamente confiante. Pessoas vitoriosas sempre experimentam níveis baixos de confiança e autoconfiança, mas elas treinam e praticam incansavelmente até atingir um grau aceitável de competência. De fato, o sucesso é o melhor remédio para sua insegurança.

2. Baixa autoconfiança pode motivar você a trabalhar com mais afinco e se preparar melhor:

Se você estiver comprometido em atingir seus objetivos, você terá mais incentivo em trabalhar com mais determinação quando faltar confiança em suas habilidades. Na realidade, baixa autoconfiança é apenas desencorajadora quando você não leva seus objetivos a sério. Muitas pessoas gostam da ideia de se tornar excepcional em algo, mas não o suficiente para fazer o que é preciso para conquistar esse status.

Muitas pessoas querem ser magras, saudáveis, atraentes e bem-sucedidas, porém, são poucas as que estão dispostas a fazer o que for necessário para conquistar esses objetivos - o que sugere que essas pessoas não querem tanto essas coisas como imaginam que querem. Se você realmente quer aquilo que você diz, então sua baixa autoconfiança irá fazer com que você trabalhe mais ainda para conquistar suas metas - já que se tornará clara a discrepância entre o objetivo que você deseja e seu estado atual.

3. Baixa autoconfiança reduz a probabilidade de você ser visto como arrogante ou se iludir.

Apesar de vivermos em um mundo onde os narcisistas são idolatrados, as consequências do excesso de confiança estão se tornando evidentes. De acordo com o Gallup, mais de 60% dos profissionais não gostam ou odeiam o trabalho em que estão atualmente, e a causa mais comum para isso é a presença de um chefe narcisista.

Se os gestores fossem menos arrogantes, menos empregados gastariam seu tempo no Facebook, a produtividade subiria, e a rotatividade de funcionários na empresa seria reduzida. Uma baixa autoconfiança não só diminui a chance de você ser visto com arrogante, mas também de se iludir com facilidade. Pessoas com baixa autoconfiança estão mais propensas a admitir um erro - no lugar de culpar outros e raramente tomam o crédito pelas conquistas de outras pessoas.

Fonte: Revista do RH/Hogan Brasil: www.revistadorh.com.br


Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br

O que você achou do novo Vya Estelar?