imagem de capa

Saúde e Bem-estar

Atividade Física

Motivação e exercícios físicos

Motivação: energia pessoal que dá início, dirige, sustenta...

20 jun, 2017

por Renato Miranda

Muitas vezes pessoas me procuram para obter “dicas” para iniciar e/ou manterem-se em um programa de exercício físico. Em linhas gerais explico que para descobrir o quanto é valioso exercitarmos nós devemos pensar em três palavras: necessidade, prazer e autorrealização.

Quando temos em nossa mente de forma clara e objetiva alguma necessidade mobilizamos toda nossa energia para tentar satisfazê-la. Como consequência, quando satisfazemos uma necessidade ocorre um forte sentimento de autorrealização que gera prazer.

Voltemos ao desafio inicial: “Como me motivar para iniciar e manter o meu programa de exercícios físicos?”.

Embora os benefícios psicofísicos de um programa regular de exercícios físicos sejam bastante divulgados e muitas vezes entendidos pelas pessoas, o primeiro passo é avaliar se está claro em nossa mente a importância dos exercícios para nossa saúde.

Ao considerar a motivação como energia pessoal que dá início, dirige, sustenta e cessa o comportamento motivado, propomos a ideia de que a motivação integra o comportamento do ser humano a fim de nos impulsionar em direção aos nossos objetivos. Assim sendo se não há motivação fica difícil iniciar algum desafio com energia.

O despertar da motivação para a prática de exercícios físicos está na mobilização das necessidades da pessoa. Nesse sentido pode-se dizer em poucas palavras que necessidades sejam tudo aquilo que é importante para alguém.

Se a pessoa avalia o quanto exercitar é importante para ela mesma (e isso pode levar algum tempo!), o interesse da pessoa em exercícios físicos surgirá espontaneamente. Isso por que interesse é uma relação de conveniência estabelecida entre a pessoa e o objeto (ou fenômeno) capaz de satisfazer algum tipo de necessidade da mesma.    

Portanto, quando alguém descobre que uma boa saúde psicofísica é traduzida como:

- tendência de proteção para vários tipos de doenças orgânicas e músculoesqueléticas (pressão alta, diabetes, tendinites, artrose e outras);

- melhor disposição física para as atividades do dia a dia, melhor força muscular;

- uma estética corporal “atlética”;

- regulação do sono;

- recuperação mais rápida dos esforços rotineiros;

- autoimagem positiva, mais autoconfiança, otimismo frente os desafios, regulação do humor, sentimento frequente de recompensa, e muitos outros que poderiam esgotar esse texto, a pessoa tende a avaliar um programa de exercícios físicos como o “objeto” que irá satisfazer sua (s) necessidade (s).

Desse modo a pessoa terá grandes possibilidades de iniciar e orientar um comportamento motivado para a prática e manutenção de um programa regular de exercícios físicos e tudo o mais que for necessário para se manter saudável.

Ao dar continuidade aos primeiros passos de um comportamento motivado, é fundamental sustentá-lo e integrá-lo aos fatores extrínsecos (ambientais) juntamente com os fatores intrínsecos (pessoais). Significa então que o impulso pessoal sistemicamente relacionado ao conforto, segurança, forte apoio profissional de alta qualidade pessoal e técnica entre outros favorecem o bem-estar e o prazer e, portanto, são fatores que devem fazer parte desse desafio (manter-se em boa forma psicofísica!).

Além disso, tudo o que for feito em termos de treinamento deve ter uma consequência positiva em relação aos objetivos pessoais. E mais, a partir do momento em que cada etapa ou meta for atendida, outros desafios precisam ser vislumbrados e/ou mobilizados para não diminuir a intensidade e não cessar a motivação. Fator que deve ser considerado fundamental é o nível de autorrealização que a pessoa usufrui praticando determinada atividade. Com isso o exercício físico estará associado ao prazer.

O desenvolvimento do prazer certamente levará a pessoa (atleta ou praticante de exercícios físicos) a melhor suportar o processo de treinamentos e consequentemente um melhor rendimento será observado. A melhoria constante desse rendimento aumenta a percepção do nível de conquistas pessoais e leva a pessoa a obter um maior nível de motivação.

4 dicas para uma ótima motivação:

Para uma ótima motivação a fim de melhorar o rendimento nos programas de treinamento esportivo e exercícios físicos aconselho seguir os seguintes passos:

1ª) Ter a clara percepção que seu esforço é produtivo. Ou seja, sua dedicação à atividade vale a pena;

2ª) Manter sempre uma ótima concentração na tarefa. Quanto melhor concentrado, maior é a tendência de se manter motivado;

3ª) Estabelecer objetivos claros de desafios e compatíveis com a capacidade psicofísica pessoal;

4ª) Desenvolver autocontrole. Tanto no aspecto de controle da excitação emocional como no controle de execução da tarefa, em outras palavras dominar a exigência motora com calma.


Professor da Faculdade de Educação Física da UFJF; Mestre e doutor em Psicologia do Esporte (UGF); Especialista em didática e psicologia do esporte na Alemanha (Escola Superior de Esporte Alemã - Colônia) e Rússia (Instituto de Cultura Física de Moscou); Consultor de atletas em psicofisiologia (concentração, estresse. motivação e flow-feeling).

O que você achou do novo Vya Estelar?