imagem de capa

Vya Estelar Responde

Fala Leitor

Minha mãe não respeita minha noiva. O que faço?

Acredite na pessoa que escolheu para viver ao seu lado

04 jul, 2017

por Anette Lewin

Depoimento de um leitor:

“Minha mãe nunca recebeu bem minha noiva. Estamos juntos há 9 anos e sempre em reunião familiar minha mãe solta uns comentários polêmicos. Minha noiva é muito caseira, calma e não bebe bebida alcoólica e sempre recebeu bem minha mãe. Quando estamos reunidos com minha mãe, ela fica falando que não gosta de pessoas paradas - isso já é uma piadinha. Me considero de cor parda, tenho olhos verdes, cabelo liso e minha noiva é morena cabelo liso, parece muito como uma indígena. Minha mãe fica falando que quer os netos se pareçam comigo ou que sejam negros de cabelo crespo pra ela fazer tranças. Esses comentários deixam minha noiva muito triste, que fica somente escutando as piadas de minha mãe sem poder falar nada, por respeito. Isso está me sufocando. Minha mãe precisa respeitar minha noiva.”

Resposta: O conflito sogra/nora é, quase sempre, inevitável. Não é à toa que existem tantas piadas a respeito... Porém, como todo conflito que se preze, se não for alimentado, perderá forças. Assim, o ideal é ignorar os comentários irônicos de sua mãe como, aliás, parece que vocês têm feito até agora. Vocês ficam tristes com a situação, mas não respondem. Certamente essa é a melhor forma de lidar com ela.

Mas o que fazer com essa tristeza interna, essa situação de tensão nos encontros familiares?

Bem, você e sua noiva pretendem formar uma nova família e, portanto, esses encontros familiares tenderão a ficar menos frequentes. É claro que você sempre manterá um vínculo mais forte com sua família de origem do que o vínculo que ela poderá criar com eles. Ela pode até acompanhar você nos encontros familiares, mas provavelmente não será a situação mais confortável para ela. Assim, pense em investir em atividades que vocês dois apreciam e ir, aos poucos, se desvinculando das famílias de origem. Será mais saudável e mais confortável para ambos.

Caso sua vontade de visitar seus familiares apareça com mais frequência, vá sozinho de vez em quando. Às vezes refazer o núcleo original sem a presença dos novos agregados pode ser saudável, desde que numa frequência pequena. Sempre é divertido falar de experiências passadas pelas quais a família passou junto, sem a presença do novo agregado, para quem essas experiências não têm o menor significado. Pense nessa possibilidade desde que, é claro, sua noiva não se incomode com isso. Caso ela queira estar sempre junto com você nos encontros familiares, combine com ela evitar dar atenção aos comentários ferinos de sua mãe. Tentem trocar um olhar cúmplice, uma piscadela discreta quando algum comentário for feito. Ela se sentirá melhor tendo você como aliado, nesse campo de batalha que são as reuniões familiares.

Por fim, uma atençãozinha especial à sua mãe. Provavelmente, nem todo comentário que ela faz tem intenções irônicas ou destrutivas. Parece que ela gosta de falar, expressar suas opiniões e seus desejos abertamente, e quem fala muito às vezes fala bobagem. Sua noiva parece mais fechada e observadora e não responde à sua mãe assim como, provavelmente, não responderia a outras provocações tão frequentes em encontros sociais.

Pessoas têm que aprender a se defender desses ataques com suas próprias armas: alguns se calam, outros enfrentam, alguns agridem outros ironizam. O mais importante é entender que esses encontros duram pouco. Mesmo que algo desagradável ocorra,  o mais adequado é esquecer, porque a vida a dois continua e é nela que vínculos mais adequados podem ser criados. Afinal, você escolheu sua noiva, mas não lhe foi autorizado escolher sua mãe. Aceite-a e respeite-a por tudo o que ela lhe deu até agora. Da mesma forma acredite na pessoa que escolheu para viver ao seu lado sem tentar julgar quem está certa e quem está errada. Cada uma tem seus motivos, suas atitudes e você não pode e nem deve se aventurar a fazer o papel de juiz.

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um médico e não se caracteriza como sendo um atendimento.


É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor(a), ainda mais pertinho de nós. A psicóloga Anette Lewin responderá perguntas enviadas por você sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos:

1º formato: responder as perguntas enviadas por você;

2º) formato: extrair uma palavra em específico de uma pergunta que você enviou (ex: traição). E partir desta palavra, revelar o significado do que sentimos ao nos relacionar. Seu nome e e-mail serão preservados.

O que você achou do novo Vya Estelar?