DESTAQUES

Não há coerência entre o que se fala e o que se faz

Samanta Obadia 07/02/2018 COMPORTAMENTO
Não há coerência entre o que se fala e o que se faz
Fonte: imagem Pixabay
Muitas pessoas pensam dominar saberes, simplesmente porque tiveram acesso às informações na internet

Por Samanta Obadia

Viver no mundo das ideias é sempre muito confortável. Não é à toa que a maioria das pessoas se adaptou facilmente ao uso das redes sociais e ao manuseio das funções básicas dos celulares. Ficar com os olhos fixos diante de imagens é um procedimento bem fácil, já diria *Narciso. Afinal, estas refletem os nossos desejos e anseios. Algumas que realmente buscamos e outras que, curiosamente acessamos. Na maior parte das vezes, grandes bobagens que engolem um tempo que não voltará jamais.

Com isso, o conhecimento e a transmissão desses são banalizados cada vez mais. De tal forma, que muitas pessoas pensam dominar saberes, simplesmente porque tiveram acesso às informações na internet.

A educação parental (dos pais) e institucional (da escola) passa por uma crise absurda, pois perde o que lhe é mais caro, a credibilidade. Por definição, educação é a aplicação de métodos próprios para assegurar a formação e o desenvolvimento físico, intelectual e moral de um ser humano. Ou seja, é preciso experiência e estudo para auxiliar de forma íntegra a construção de jovens que precisam de orientação adequada para crescer de maneira sadia, com bem-estar.

Contudo, a educação na atualidade está falida na maior parte do mundo. Não há coerência entre o que se fala e o que se faz. As pessoas estão presas a um discurso vazio enquanto fogem da ação. Falar sobre qualquer assunto com eloquência é fácil. Vejam os **sofistas que hoje são bem representados por políticos e publicitários.

Vejo e ouço pessoas doentes dando dicas de saúde, solteiros falando sobre casamento, narcisistas compulsivos vendendo falsas felicidades etc. Falar sobre o que não se viveu é um mecanismo fantasioso e perigoso, pois cria expectativas falsas nos crentes que planejam e se frustram diante de suas perspectivas. O que lhes entristece e deprime, na comparação com os mascarados que aparentam sucesso.

Dar um passo real na direção de seus objetivos necessita de estrutura e equilíbrio naquele que projeta seu plano de vida, e esse alguém deve ser formado integralmente, ou seja, bem educado.

* Narciso: personagem da mitologia grega, extremamente belo, que apaixonado por sua própria imagem nas águas do lago, morre por inanição. Daí, a palavra narcisista.

**Sofistas: sujeitos que usam argumentos capciosos para enfraquecer o verdadeiro, em favor do falso, dando-lhe aparência de verdadeiro.




TAGS :

    crise, educação, mundo, redes, sociais

Samanta Obadia

Samanta Obadia é Escritora, Psicanalista e Filósofa com especialização em neurocognição. Palestrante dinâmica e inovadora, com ampla experiência em relacionamentos afetivos na clínica psicanalítica e em Orientação Educacional para jovens e familiares.



ENQUETE

A morte trágica da bancária Lilian Jamberci, vítima do "Dr. Bum Bum", trará à luz uma reflexão sobre o vício da vaidade?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.