DESTAQUES

Não é tarefa fácil batalhar pelas nossas ideias dentro de um relacionamento amoroso

Anette Lewin 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Deixar de batalhar por elas traz consequências muito mais graves

por Anette Lewin

"Não aguento mais acompanhar meu marido nas inúmeras festas de sua empresa. Ele se irrita muito quando resisto a ir nessas festas. O problema é que são muito frequentes e acabei implicando com isso. Tenho a impressão de que os eventos são mais importantes que nossa relação. Tentei um diálogo, mas ele é machista e acredita que a mulher deve seguir o homem. Essa situação está me matando, mas acredito que vou encontrar uma saída, pois acho muito pouco para destruir uma relação"

Resposta: Se você consegue vislumbrar que existe uma saída para o problema já está no caminho certo!

Mudanças nos costumes do casal acontecem e são bem-vindas. O maior desafio é mudar na hora certa, no ritmo certo e com a postura certa.

Pelo que você descreve, acompanhar seu marido às festas da empresa foi bom... enquanto durou! Sim, porque certamente no inicio você tinha curiosidade de conhecer as pessoas que faziam parte da vida profissional dele; queria ser incluída nas comemorações festivas; queria saber quem eram as mulheres que o cercavam; enfim, nesse período essas festas tinham um significado tambem para você! Satisfeita essas curiosidades, o sentido se perdeu e você quer pular fora de situações em que faz o papel de mera figurante, não é mesmo?

Como negociar?

Para conseguir seu intento, vá com calma e cuidado. Evite recusar ir a todas as festas. Acompanhe-o em algumas e evite outras sem fazer disso um alarido. Aja naturalmente, dizendo que não tem vontade de ir, evitando justificativas. Diga apenas que prefere ficar em casa ou que não está disposta a enfrentar um monte de pessoas naquele dia.

Evite tambem impedir que ele vá às festas sugerindo que ele está mais interessado na festa do que em você. O trabalho impõe esse tipo de evento e só ele pode avaliar se deve ou não comparecer.

Por outro lado, quando estiver com ele, seja numa festa da empresa, seja em um programa a dois, tente aproveitar o momento da melhor forma que puder. Relaxe, divirta-se junto com ele e evite criar climas difíceis de digerir. Nada melhor do que a memória de bons momentos para estimular a relação amorosa e criar no casal sensação de prazer por estarem juntos. Independentemente do lugar em que estejam!

Quanto ao machismo de seu marido, entenda que ele só conseguirá impor regras a você se você deixar. Não é tarefa fácil batalhar pelas nossas ideias dentro de um relacionamento amoroso, mas deixar de batalhar por elas traz consequências muito mais graves do que o simples desconforto da negociação. Afinal, respeito não se impõe; conquista-se pela postura, pelas ideias, pela coerência e pelo respeito mútuo.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.