DESTAQUES

Sou usuário de drogas e compulsivo sexual. Preciso de ajuda.

Danilo Baltieri 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR

por Danilo Baltieri

Sou usuário de crack, cocaína e maconha. Tenho 35 anos, sou advogado, contador e empresário. Às vezes passo 15 dias sem usar, mas não consigo deixar. Gostaria de ajuda, pois não posso me afastar das atividades para tratamento. Sou agressivo e tenho compulsão sexual. Comecei aos 32 anos. Preciso de sua ajuda.

"Em diferentes amostras de sujeitos compulsivos sexuais, a coexistência de problemas com o uso de substâncias psicoativas ocorre entre 25 e 70% dos sujeitos" Resposta: Na compulsão sexual, três aspectos geralmente estão presentes:

a) Fantasias, atividades ou práticas sexuais recorrentes e intensas;

b) Esses comportamentos e fantasias são de difícil controle;

c) Esses comportamentos e fantasias causam significativos problemas em diferentes áreas da vida do indivíduo (trabalho, casamento, relacionamentos, na Justiça, etc).

Sintomas e comportamentos observados em indivíduos com compulsão sexual:

1) Constante busca por parcerias sexuais e ambientes para encontrá-las. Insaciável demanda para múltiplas parcerias como uma forma de manejar ansiedade e manter autoestima;

2) Parcerias são vistas como objetos a ser usados e não propriamente como pessoas portadoras de uma identidade própria;

3) Masturbação excessiva. Frequentemente, o comportamento masturbatório só é interrompido após exaustão do indivíduo, lesão do pênis, ou extrema pressão social;

4) Após o orgasmo, a sensação de vazio, solidão, impotência e depressão tomam conta do indivíduo;

5) Consumo excessivo de pornografia. Às vezes, existe escalonamento do conteúdo do material pornográfico, indo do softcore para o hardcore;

6) Consumo excessivo de prostituição. Gastos excessivos podem ser derivados dessa busca;

7) A interrupção da busca por sexo provoca ansiedade, irritabilidade, inquietação e prejuízo da concentração;

8) Grande ansiedade no sentido da conquista de parcerias novas e rapidamente descartáveis.

Em diferentes amostras de sujeitos compulsivos sexuais, a coexistência de problemas com o uso de substâncias psicoativas ocorre entre 25 e 70% dos sujeitos. Também, múltiplos estudos têm apontado a similaridade comportamental entre a compulsão sexual e o abuso e dependência de substâncias.

De fato, ambos os problemas seguem um padrão de exposição a um estímulo recompensador que pode conduzir à repetição do consumo. Essa exposição leva a um comportamento recorrente de busca, se o indivíduo exposto é biologicamente e psicologicamente predisposto. Quando o comportamento aditivo se inicia, os portadores mostram grande dificuldade para controlá-lo e eles tornam-se mais focados na obtenção do objeto da sua compulsão.

Fissura, ritualização para conseguir o objeto desejado, grande ansiedade prévia são achados comuns em ambos os problemas. Certos estados afetivos (frustração, ansiedade, depressão), memórias e situações associadas com o comportamento comumente disparam a fissura.

Também, ambos os problemas (sexo compulsivo e abuso de drogas) frequentemente ocorrem em conjunto com outros problemas, tais como transtornos ansiosos (42 a 46%) e transtornos do humor (25 a 71%).

Na verdade, ambos os comportamentos, em conjunto ou isoladamente, podem ser devastadores para o indivíduo que padece deles.

Na situação de coexistência, os problemas advindos da busca por sexo e da busca por drogas se somam e tornam o portador dos problemas altamente vulnerável a problemas significativos nas suas várias áreas de atividade.

Assim, um serviço especializado no manejo de ambos os problemas deve ser procurado.

Na verdade, inúmeros ambulatórios existem para o manejo conjunto dos problemas e o portador não deve retardar a procura por auxílio. Portanto, não perca tempo!



 

 

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. O psiquiatra Dr. Danilo Baltieri responderá questões ligadas à dependência química e vícios: drogas, álcool, cigarro e psicotrópicos. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Danilo Baltieri

Médico psiquiatra. Mestre e doutor em Medicina pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador geral do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Instituto de Psiquiatria da FMUSP (GREA-IPQ-HCFMUSP).Tem experiência em Psiquiatria Geral, com ênfase nas áreas de Dependências Químicas.



ENQUETE

Você toparia ter um relacionamento de “amizade com benefícios”? Tratam-se de amigos que se tornam parceiros sexuais sem deixar isso interferir na amizade; o termo vem da expressão 'friends with benefits'.





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.